quinta-feira, 30 de outubro de 2008

João


Numa passagem de estrada perdi metade do meu coração. Daí pra diante penso e repenso cada milésimo de segundo imutável. Quem me reporá tanta ausência? Uma conversa, um conselho, mais uma mesa farta e todas as rodadas de generosidades... Hoje tu és o espalhar de encantamento e lembranças diárias. Porque me restou uma angústia cada vez mais mouca, turbilhão de dúvidas e a única certeza: o nosso reencontro na longa noite da eterna boêmia.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Re-composto
Apenas tenho o ímpeto acuado por sentimento
Num mundo de impulsos e premonições perdidas.
Por tal, nenhuma atroz rotina me pára.
Nenhuma peça do destino ingrato me sufoca.
Porque meu ponto forte
É o fio implacável entre o amor causado
E a cruenta decepção que me põe sofrido.
É, no repetido furar da face na transfiguração da dor sem freio,
Que me volto recomposto.

terça-feira, 15 de janeiro de 2008


Retorno
Viagem se faz por espírito.
Meu corpo era apenas uma testemunha sentimental de tal jornada.
Fui débil em busca do reencontro de olhar.
Nalgum lugar descobri como quem mente impune
Que a física e temporal distância remove o amor desnudo
E o sobrepõe disfarce.